O que é a Interpretação
Para compreender bem a essência da actividade do intérprete de conferência, importa ver em que medida se diferenciam os conceitos de tradução e interpretação.

Tradução é a transposição dum discurso escrito numa língua para outra língua. O exercício da actividade por escrito permite que o profissional que a executa possa dispor de tempo suficiente para proceder às consultas bibliográficas necessárias à obtenção de um texto final técnica e linguisticamente correcto.

Interpretação é a transposição de um discurso oral emitido numa língua para outra língua. Ao contrário da tradução, a interpretação encontra-se associada a uma forte componente de imprevisibilidade (mais ou menos representativa ou frequente) que obriga o profissional a preocupar-se sobretudo com o significado essencial do discurso transposto e não tanto com a sua integralidade. Existem várias modalidades de exercício desta actividade, sendo as mais comuns a interpretação de conferência, a interpretação de acompanhamento ("interprétation de liaison", em língua francesa, "escort interpretation", em língua inglesa) e a interpretação judicial.

A actividade de interpretação de conferência é exercida no quadro de reuniões multilinguísticas formais, de natureza bilateral e multilateral, que se desenvolveram no século XX. No modo consecutivo, o intérprete ouve a intervenção junto do orador e vai tirando apontamentos, reproduzindo na íntegra imediatamente a seguir (consecutivamente) numa outra língua, o discurso como se fosse seu. No modo simultâneo, o intérprete de conferência exerce a profissão integrado em equipas. Os intérpretes, instalados em cabinas, diante de consolas equipadas com microfone e auscultadores, ouvem o discurso e transmitem-no aos ouvintes na sala ao ritmo a que ele é proferido. A interpretação simultânea permite, assim, a participantes de várias línguas ouvir e falar a sua própria língua, sem quebras de ritmo da comunicação, durante toda a reunião (um dia de trabalho pode ter até sete horas de duração).

Cada intérprete de conferência possuia a sua combinação linguística que é constituída por:
Línguas Activas – aquelas em que o intérprete se exprime
Línguas Passivas - aquelas a partir das quais interpreta