Como aderir à APIC

A APIC está aberta a todos os intérpretes de conferência com formação universitária e experiência profissional que assegure nível adequado e que sejam avaliados favoravelmente por um júri numa situação de interpretação simulada ou em funções.

Os candidatos terão de ser propostos por, pelo menos, dois sócios efectivos e a Assembleia Geral da APIC delibera, em última instância, sobre os pedidos de adesão.


Os candidatos a intérpretes da APIC serão avaliados com base nos seguintes critérios:

Critérios base

a) Capacidades linguísticas: domínio da estrutura da língua, fluência,
 conhecimento das especificidades culturais e idiomáticas;

b) Capacidades expressivas: boa dicção, capacidade de expressão,
 sobriedade do discurso;

c) Capacidades interpretativas: compreensão do sentido da mensagem 
 e transposição adequada da mesma para a língua de chegada;


Critérios complementares

a) Aptidões psicológicas: poder de concentração, flexibilidade mental,
 boa memória, resistência nervosa, excelente saúde mental, auto-controlo;

b) Aptidões físico-psicológicas: boa capacidade auditiva, bom estado geral
 de saúde, física e psicológica;

c) Aptidão para o trabalho em equipa: compreensão dos seus requisitos,
 espírito de grupo, bom relacionamento social;

d) Qualidades morais: sentido das responsabilidades, discrição,
 ética profissional.


 

Na sequência da avaliação, é atribuída ao intérprete APIC uma combinação linguística segundo a classificação seguinte:

Línguas Activas: aquelas em que o intérprete se exprime, das quais uma será a…

...Língua Materna: língua principal do intérprete; quando se exprime nela é visto pelos elementos dessa comunidade linguística como um dos seus, não é reconhecido como estrangeiro.

Línguas Passivas: aquelas a partir das quais o intérprete interpreta para a sua língua materna (e, eventualmente, para outra língua activa).