Código Deontológico
I - Os associados não aceitarão contratos para os quais não se encontrem devidamente qualificados.
Qualquer aceitação implicará o compromisso moral da sua parte que o serviço será desempenhado com profissionalismo.

II - Os associados não aceitarão - e muito menos oferecerão - condições de trabalho que não respeitem as normas estabelecidas pela APIC.

III - Os associados não aceitarão contratos ou situações de trabalho que ponham em causa a dignidade da profissão.

IV - Os associados comprometem-se a respeitar a confidencialidade de toda a informação obtida no decurso da sua prática profissional e não tirarão daí qualquer proveito pessoal.

V - Os associados têm o dever de ser solidários com os seus colegas.
Assim, não cometerão actos nem farão declarações que sejam prejudiciais aos interesses da APIC ou dos seus membros. Qualquer desacordo das decisões da Associação ou qualquer queixa acerca do comportamento doutro associado deverá ser levantada e resolvida no seio da APIC.

Recomendações Éticas
1 - Vários trabalhos no mesmo dia
O intérprete não deve aceitar para o mesmo dia vários trabalhos cuja duração acumulada ultrapasse as 8 horas de trabalho.

2 - Sobreposição de trabalhos
a) Por princípio, o intérprete só deve aceitar os trabalhos que puder cumprir integralmente.

b) O intérprete só deverá interpretar em "parte(s)" de um evento se for de todo impossível encontrar um colega disponível para a totalidade do trabalho.

3 - Recusa de trabalhos previamente aceites
a) Só em casos de força maior deverá o intérprete recusar um trabalho previamente aceite.

b) Por "força maior" entende-se situações de doença, problemas pessoais graves e outros imprevistos afins.

c) Assim, e por princípio, o intérprete não deve recusar um trabalho previamente aceite apenas porque entretanto lhe surgiu uma alternativa mais interessante (em termos financeiros, materiais, geográficos ou outros).

d) Nos casos em que lhe seja de todo impossível respeitar os compromissos assumidos, deve o intérprete assegurar a sua adequada substituição por um colega.

4 - Sobreposição parcial de trabalhos
Da combinação entre as recomendações 2. e 3. resulta claro que o intérprete não deve nunca deixar um trabalho a meio apenas para pegar noutro que se prolonga por mais dias e assim conseguir realizar dois (ou mais!) trabalhos que se sobrepunham parcialmente.

5 - Telemóveis
Os intérpretes devem desligar os seus telemóveis quando se encontram em cabine, mesmo que não estejam a interpretar.