Como contratar intérpretes

Ao contratar intérpretes de conferência, importa assegurar que se recorre a verdadeiros profissionais qualificados. O mercado da interpretação é livre e, infelizmente, não-regulamentado, o que permite o exercício desta actividade a qualquer indivíduo sem qualificação apropriada e tende a encorajar a actividade de algumas entidades menos escrupulosas que recorrem a amadores cuja competência profissional é, no mínimo, duvidosa. Assim, tentados por orçamentos mais baixos, muitos organizadores de eventos acabam por sair prejudicados. O barato, por vezes, sai caro!

Dada a não-existência, por enquanto, de uma certificação profissional oficial no nosso país para a profissão de intérprete de conferência, a única forma de assegurar, à partida a qualidade do serviço de interpretação é recorrer a profissionais qualificados, intérpretes APIC.

Aquando do primeiro contacto a efectuar (seja directamente com o intérprete ou através de uma empresa intermediária) deverá ter-se presente os seguintes elementos:

Designação do evento
Temática geral do evento
Local
Datas
Horários previstos (O intérprete de conferência não deverá trabalhar mais de 7   horas por dia)
Línguas de trabalho e sentidos de língua (se, por exemplo, é só de inglês para   português, ou também de português para inglês)
Modalidades de interpretação previstas (simultânea e/ou consecutiva)
 Necessidades especiais (por exemplo, gravação do trabalho dos intérpretes,   visionamento de filmes, etc.)



Recomenda-se ainda a consulta dos documentos Condições de Trabalho e Sugestões aos Organizadores disponíveis neste site.